segunda-feira, 22 de maio de 2017

Carta Um - Em português.

Eu nunca entendi muito bem o sentimento de ser uma fã.
Nunca compreendi o motivo de tantas pessoas se apaixonarem, venerarem, ficarem até obcecadas com simplesmente outro ser humano.
O que faz um ser humano se sentir 'fã', sabe... se sentir extasiada com uma pessoa famosa.

Confesso que já julguei algumas meninas dizendo : '' Hey, criança, deixe de ser boba, o Justin Bieber nem sabe quem é você''

Não é que eu nunca tenha me apaixonado por aquele cantor, astro de cinema, personagem do filme. Até acho normal...
Quando eu era criança, era apaixonada pelo Edward Mãos de Tesoura, juro.

Mas é diferente quando você realmente sente, de verdade, o que é ser fã de alguém.

Não vou mentir, talvez eu sinta vergonha de que outras pessoas saibam que tenho um fanatismo ou uma fixação por alguém que talvez nunca saiba quem sou. É estranho. Afinal, é apenas outro ser humano que nunca toquei, senti, cheirei, conversei, enfim... parece não fazer sentido.

Mas não é assim que me sinto. Para mim faz, e muito, sentido.

É como se já o conhecesse, como se fossemos amigos, amigos de longa data.
Mesmo meu ídolo mantendo afastada sua vida pessoal, apenas se mostrando como profissional, ainda assim sinto o afeto pelo ser humano, pela pessoa que é.

E hoje entendo o porque as pessoas sentem-se assim. Pelo desempenho que exercem em nosso emocional mesmo que de maneira involuntária.

Quando nossa alma precisa de algo pra preenche-la, nós assistimos filmes, séries, lemos um livro, ouvimos uma música, enfim, buscamos coisas que nos preencham e de repente a conexão acontece, assim, de forma involuntária.

E dessa forma nós passamos a buscar sempre preencher nossa alma com aquilo que nos faz bem.
E foi assim que aconteceu comigo, em uma fase muito delicada da minha vida, comecei a assistir Sherlock e foi assim que me inundei por um personagem pelo qual me fascinei, só que quando acabou a série, me vi buscando algo que não parecia ser apenas Sherlock, mas sim, quem o interpretava e eis que descobri o verdadeiro motivo de meu fascínio.

Era realmente um momento delicado para mim, não me orgulho de dizer que não via graça na vida, mas infelizmente, é a verdade. E felizmente com a descoberta deste sentimento em mim, fez com que eu tivesse então, um novo objetivo na vida. Algo para me fazer querer continuar, seguir em frente e ser firme.

Hoje compreendo o que é ser fã e ter total gratidão á quem te ajudou a ver a vida com outros olhos. Não é por ser famoso, é por fazer o que fez, sem nunca ter me visto.

E é por isso que hoje agradeço e escrevo essas cartas á você .... Benedict Cumberbatch !

Nenhum comentário:

Postar um comentário